- Emirados Árabes

Dia 8 - Dubai

20:04Unknown

Hoje retornamos ao nosso ponto de partida: Dubai.  Terminaremos nosso tour passeando pela parte nova da cidade.

Depois do café o grupo se encontrou no salão do piano Swarovski e deixamos o navio para encontrar nossa guia brasileira Mariana. Filha de argentinos, nascida no Rio e criada em Foz do Iguaçu, mudou-se para Dubai em 2008 quando começou a trabalhar na Emirates como aeromoça.
Casou-se com um  piloto de avião brasileiro e desde então prepara seu pé de meia para o futuro.
Ela disse que nenhum expatriado se aposenta nos EAU e que só podem permanecer por aqui enquanto estiverem trabalhando. Caso o contrato de trabalho seja extinto, o estrangeiro tem 30 dias para deixar o país!
Informou também que a população nativa correponde a 18% da polulação total e que as demais nacionalidades predominantes são indianos, paquistaneses, indonésios e filipinos,  mão de obra barata para os serviços de turismo, comércio e principalmente construção civil. E tem obra por todos os lugares!

Iniciamos nosso tour pela parte nova da cidade no parque de flores denominado Dubai Miracle Garden. Um milagre de flores.
Você pode imaginar um lugar que chega a 50 graus no verão repleto de flores delicadas e coloridas?  Pois este é o lugar.





O dia santo dos muçulmanos é a sexta feira. É o mesmo que o domingo para os cristãos. Neste dia ninguém trabalha e ao meio dia ocorre a reza mais importante da semana.
Para respeitar o dia santo o final da semana é sexta e sábado. Domingo é dia útil e o primeiro dia da semana. Sendo assim o parque estava lotado, assim como todos os outros pontos turisticos da cidade.



Deixando o parque seguimos para o bairro da Marina, uma gigantesta área residencial, onde muitos prédios ainda estão em construção, concentrada em spenas 4 km de orla.
O curioso é que deixaram 90% da orla de Dubai para os árabes nativos e apenas 10% para os estrangeiros que representam 82% da população. Podem imaginar o trânsito do local?
Toda a população tem carro. No verão qualquer deslocamento a pé é impossível e as distâncias entre bairros e centro são longas.
O bairro da marina é um aterro com canais e foi idealizado para que suprir todas as necesdidades de seus moradores. Sendo assim, a maioria dos arranha céus possui comércio, consultórios e serviços. 



Depois desta parada seguimos para a medina (cidade murada) construída nos moldes do século XIX que abriga o souk, loginhas de comércio e  o único hotel 6 estrelas do mundo: Burj Al Arab.

Burj Al Arab




Depois desse passeio passamos pela ilha artificial em forma de palmeira. Uma ilha incrível desenhada por um arquiteto holandês.
Conta a guia que um dia o sheik sonhou com uma ilha em forma de palmeira e assim fez
Nenhum arquiteto se habilitou a essa proeza, só o holandês. A ilha foi construída em 4 anos. Foram várias as tentativa para o aterro. As ondas arrastavam a areia até que criaram um semi-circulo que resolveu o problema.
Milionários constroem suas casas por lá. Resorts também fazem parte da paisagem do lugar. O mais famoso é o Atlantis the Palm.



Deixando a ilha fomos visitar um shopping com uma pista de esqui de 40 metros de altura.   Outra obra monumental. Pode imaginar neve num deserto? Almoçamos por lá. Uma comida libanesa deliciosa (acho que fui habib na outra encarnação!).
Desse shopping seguimos para o 2o maior shopping do mundo: The Dubai Mall. Aliás tudo aqui é maior do mundo, melhor do mundo e mais lindo do mundo (coitado dos argentinos!)
O shopping com mais de 1200 lojas está localizado no coração da cidade nova. Tem um aquário fantástico que pode ser avistado de todos os andares. Nele vemos tubarões, arraias e toda espécie de peixe. É incrível.




Junto ao shopping encontramos o prédio mais alto do mundo, o Burj Khalifa, com 828 m de altura. A sua construção começou em 21 de setembro de 2004, e foi inaugurado oficialmente em 04 de janeiro de 2010. É tão alto que tem um elevador que chega a 64km/h.
Nossa turma resolveu ver a vista do 123o andar pela bagatela de quase 500 reais o casal. Eu e o Mô declinamos do passeio e preferimos ficar caminhando pelo shopping e suas redondezas. Que lugar incrível!
Vista da loja da Apple para as fontes

Burj Khalifa
 

Perto das 18 h o show começou os show das águas. Esse espetáculo ao ar livre ocorre ao redor da imensa lagoa artificial fincada no meio do complexo do Dubai Mall e Burj Khalifa. É a maior fonte dançante do mundo.
Havíamos lido que a melhor vista seria da loja Apple localizada no shopping. Mas isso não é verdade. A melhor vista, a favor do sol, é do parque junto ao Burj Khalifa. Do alto de uma plataforma a vista é fantástica. Os guias não levam os clientes até lá por preguiça. 





Depois do show das águas encontramos com o resto da turma e seguimos para o navio para o jantar de despedida. O salão já estava vazio. Alguns passageiros já haviam desembarcado. 
Jantamos e nos preparamos para a noite curta: as 3:45 teríamos que estar no saguão principal. 

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

0 comentários