- Caminho de Santiago

Dia 4 - Zubiri - Pamplona - 22,5 km

12:39renata novaes

A noite foi tranquila. O quarto ficou quase completo: quatro italianos que estão fazendo o caminho de bicicleta, um italiano a pé, um casal francês, eu e o Mô. 
Acordamos todos às 6:30, arrumamos as mochilas e fomos tomar café no piso superior, numa grande mesa, onde já estavam preparados os pratos: café com leite, pão, manteiga e geléia.
Depois do café nos despedimos de nossos companheiros de albergue e seguimos viagem.



Nosso albergue ao fundo:



Caminhamos por trilhas estreitas e depois seguindo o leito do rio Arga.












Fizemos uma pequena parada na metade do caminho. Nós e muitos outros peregrinos. Nessa parada um suco e laranja e uma tortilha para recuperar as energias.








Todos os dias, a cada 10 km, encontranos uma fonte como essa, de água potável, onde reabastecemos nossas garrafinhas.







Chegamos em Pamplona atravessando uma antiga ponte. É a primeira cidade grande que passamos.
Foi fundada em 74 aC e é famosa pela festa de San Firmino que acontece durante 15 dias no mês de julho. Nesta festa os touros são soltos nas ruelas e os populares correm deles ou para eles!













Além das setas amarelas nas paredes, nas calçadas da cidade também há conchas indicando o caminho. 
Caminhamos direto ao albergue  Jesus y Maria situado no centro histórico de Pamplona, junto a Catedral
O albergue é uma antiga igreja medieval, a igreja de Jesus y Maria, que foi totalmente adaptada para servir de refúgio de peregrinos. Os quartos ficam em dois pisos, com uns 40 beliches em cada um. Os banheiros são coletivos e unissex. Disponibilizam lavadora e secadora de roupas. O preço da cama é  9 euros sem café da manhã.
Quando chegamos, perto das três da tarde, só haviam dois leitos disponíveis. Um em cada piso. Mesmo assim resolvemos ficar.
Quase chorei quando vi o local onde ficam os beliches. Não sei se a noite será muito boa não.
O Mô ficou no segundo piso com a turma teen da pegação e eu fiquei no primeiro piso com a quarta idade. As "meninas" são tão descoladas que nem se preocupam em ir ao banheiro para se trocar: dá muito trabalho... Então se trocam no corredor mesmo!











Deixamos as coisas no albergue e fomos conhecer a cidade antiga. Muito animada! Muitos bares e muitos jovens. Aqui as universidades rejuvenescem a população. 
Passamos pelos principais monumentos históricos,  pela rua das touradas, pela Plaza de Touros e terminamos num supermercado comprando coisinhas para comer!











Voltamos ao albergue e encontramos três brasileiros. Um casal de São Paulo, aposentados do Banco do Brasil que farão o caminho tranquilamente em 40 dias ou mais e um rapaz de Curitiba, o Alceu, também do Banco do Brasil que nos apresentou uma croata (Ana) e um espanhol (José).

Minha última visão da noite: 




Percurso total: 70 km

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

0 comentários