- Lagos Andinos

Dia 7 - Malargüe - San Martin de Los Andes

10:50renata novaes

Nosso réveillon não foi como planejado. A intenção era passarmos em San Martin de Los Andes, mas não deu.
O atraso na viagem fez com que escolhêssemos um restaurante de última hora em Malargue.
Parecia que era o único aberto na cidade.
A população local, ou pelo menos os turistas, se contentam em fazer um assado, sem nenhuma pompa ou circunstância.
Não se vestem de maneira especial  e também  não ouvimos fogos.
Seguimos para o restaurante as 9:30 da noite. Um lugar simples, com umas 10 mesas. Iriam servir comida regional: Porco, língua, cordeiro, ceviche, etc.
Escolhemos uma mesa e sentamos.
Logo em seguida entra um casal e informa o nome da reserva: Moisés.
Era um casal de brasileiros!
Bom... O Mô não aguentou e pela coincidência dos nomes começou a puxar conversa.
Acabamos juntando nossas mesas e passamos a noite falando sobre viagens e sobre a vida.
O casal é de Porto Alegre e a esposa chama-se Jussara. Os dois estavam voltando de um passeio de carro pela Carretera Austral. Trocamos muitas "figurinhas" e foi bem legal!
Brindamos a chegada do ano novo e quando foi perto de uma da manhã nos despedimos.
A viagem do dia seguinte seria longa!

Hoje o sol apareceu logo cedo. Deixamos a cabana as 9:40 da manhã e seguimos pela Ruta 40. 
Percorremos 62 km e a estrada acabou. Demos duas voltas numa rotatória e achamos a placa "desvio". Para o meu desespero era o começo do rípio!
Podemos dividir esse trecho em duas partes: Nos primeiros 60 km tinha 10% de um rípio horrível intercalado com 90% de asfalto ruim. 
Os 48 km seguintes, só rípio que começava horrível, com pedras e areia fofa. O Mô foi concentradíssimo para não acelerar e não cair. O pneu liso, da marca Metzeler Next, trocado recentemente, também não ajudava. O pneu estava cheio. O Mô não quis murchar. Isso foi até bom, pois o primeiro posto depois do  rípio só tinha ar pra respirar!
Depois de 25 km a estrada melhorava,  tinha mais terra com um pouco de pedra.
De qualquer forma passamos um sufoco danado. Nunca tínhamos andado tão devagar. Foram duas horas e vinte minutos para fazer 48 km! 
Eu nem acreditei quando chegou o asfalto. Foi uma visão dos deuses!
Continuamos pela estrada até a única parada para abastecimento nesse trecho (a 209 km de Malargue) num posto "mequetrefe" que não oferecia nada além da gasolina. Era quase três da tarde e não tínhamos nada para comer.
Seguimos em frente e paramos novamente para abastecer e almoçar num YPF em Chos Malal. Isso ja era 17:00.
Esse percurso todo é muito bonito, fica em meio as cordilheiras, com muitas montanhas e paisagem de cair o bico. 
Mas também é absolutamente deserto. Vemos pouquíssimos carros e quase nenhuma casa ou fazenda. 
Desde a parada para o almoço até o destino final ainda faltavam 450 km.
Com estrada boa... O Mô acelerou. Dois pontos e uma reta!
No fim do dia, já cansados, o por do sol nos pegou de frente. 
Aquela bola redonda não ia embora. Nunca desejei tanto que o sol desaparecesse. Tinha horas que o Mô colocava uma mão no rosto para poder ver a pista. O sol só se pôs as 21:20!
Chegamos ao nosso destino as 22:30. 
Eu estava exausta. Nem quis conversa. Tomei um banho e fui dormir na hora. O Mo não falou nada.
Bjs

"Cantô" no restaurante
Deixando a nossa cabana...
Nossa estrada
Curvinhas...
Rípio
Parecia que estava tudo bem...



Cânyon do Rio Grande - Início dos 48 km de rípio
A cor da foto ficou por minha conta!
E que cor...

E tristeza...
Comemorando o fim do rípio!!!




Duas horas de sol na cara! Posso garantir que ventonacara é bem melhor!
Fim do dia...



<<< Postagem anterior      Próxima postagem >>> 

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

10 comentários

  1. Kkkkk
    Esse momento da chegada as 22:30 eu ja imAgino como foi.
    Kkkkk
    Eu lembro da gente chegando em Brasília .
    E la só foi um 10 km de terra .
    Coitado do meu amigo
    Kkkkkk
    Fabio

    ResponderExcluir
  2. Show de paisagens lindas,este ripio deve ter sido demais
    Kkkkk

    ResponderExcluir
  3. Mo e Re

    Vejo que a viagem de vocês não está nada monótona... Primeiro o imbróglio do RG...
    Agora estas estradas com Ripio chuvas ventos e aventura.
    Estamos aqui acompanhando post a post. Eu tinha escrito um comentário dia 30/12 mas não foi por algum motivo.
    Desejo a vocês um excelente 2015 e que o restante da viagem seja muito legal.

    Nos passamos por Foz do Iguaçu, Posadas e hoje estamos em São Miguel das Missões.
    Amanhã Gramado e de lá para casa,

    Vamos estar acompanhando cada Post de vocês.

    Um grande abraço

    Ademir e Silvana

    ResponderExcluir
  4. Oi Ademir,,,
    Hoje estávamos falando de voces.
    Essa viagem surgiu da ultima viagem que fizeram. Enquanto passeavamos pelas ruas de San Martin procuramos o hotel que ficaram no reveillon. Comentávamos que foi a dona Silvana quem fez a ceia.
    Bjs pra voces e Feliz Ano Novo!
    Re e Mo

    ResponderExcluir
  5. Rê, vim apresentar minha solidariedade já que a banda masculina da dupla ficou te zuando. Você foi muito valente enfrentando seu medo e encarando a terra e o rípio. Parabéns! Um grande beijo.
    Marcia

    ResponderExcluir
  6. Obrigada Ma! Você deveria estar aqui para me defender pessoalmente!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Quando acaba o asfalta deve dar até aRipío na mamãe fala ai.....


    que que issoooo jovem.... lulão

    ResponderExcluir