- Lagos Andinos

Dia 16 - Santa Cruz - Mendoza

11:20renata novaes

Deixamos o "hotel fazenda" e seguimos em direção a Santiago. A temperatura estava agradável.
No caminho muitos vinhedos e montanhas.
De um lado a cordilheira dos Andes e do outro  outra cordilheira e entre as duas a estrada e muita plantação.
Víamos vinhedos, árvores frutíferas e outras culturas que não consegui identificar.  
Antes mesmo de chegarmos a Santiago surgiu aquela névoa baixa no horizonte.
Atravessamos toda a cidade para ir a BMW.
Passamos por bairros que não conhecíamos, muito bonitos, com construções novas e arborizados. 
Chegando ao prédio da BMW ficamos encantados.
Um prédio novo, muito bonito, com carro, moto, serviços e peças de reposição. Tudo separado por setores e com um atendimento excelente.
O próprio atendente que solicita as peças acompanhou o Mô até a moto, retirou as lâmpadas queimadas e depois instalou as novas no lugar.
O Mô quis dar uma gorjeta e ele recusou. 
Até café Colombiano era servido para os clientes. Fantastic!
Bom, com olhinhos novos e brilhantes seguimos viagem numa temperatura de 33 graus. Posso garantir que não estava muito agradável.
Passamos por montanhas e paisagens áridas até chegarmos aos caracoles: um conjunto de quase 30 curvas em cotovelo, sem guardrail. 
A medida que subíamos a temperatura diminuía. Chegamos a 3650 metros de altitude.
O engraçado é que o Mô falava e esperava tanto "Los Caracoles" e passamos por ele sem saber onde estávamos!  Ele achava que íamos descer os caracoles e não subir!!!!
Perto da aduana chilena e argentina passamos por Portillo, uma estação de esqui junto a um lago de degelo.O hotel estava aberto mas parecia que não havia ninguém por lá. 
Poucos quilômetros depois encontramos com 3 motos do Paraná, juntamente com as respectivas garupas. Um grupo muito simpático.
Seguimos juntos até a aduana que estava um inferno! 
Acho que inferno é pouco! Calor numa fila de quase três horas. Ficamos conversando um pouco com os motociclistas brasileiros até que eu desisti de sofrer no sol e fui me abrigar dentro do galpão da aduana.
Fiquei sentada numa guia da calçada escrevendo o blog para passar o tempo. O meu consolo é que no reveillon a espera foi de 7 horas!
Deixamos a aduana e a paisagem continuou incrivel.
Passamos pelas ruínas de  um hotel que foi desativado depois que foi atingido por "derrumbes".
Esse hotel também funcionava como termas devido a temperatura e as propriedades curativas de suas águas.
Continuamos na estrada sinuosa e chegamos  no hotel em Mendonza as 10 da noite. Ja fazia pelo menos uma hora que não havia claridade alguma. A sorte é que os "zoinhos" da moto estavam em ordem, senão teríamos ficado pelo caminho.
Tomamos um banho rápido e fomos jantar ao lado do hotel.
Voltamos e o Mõ já apagou. Três horas embaixo de sol na aduana não é pra qualquer um.  Bjs

Despedida das parreiras do Chile
Thi... Você conhece esta torre??
Santiago do Chile
Santiago
BMW em Santiago
Observando como se troca uma lâmpada!
Olha que foto bacana - painel fixado na loja BMW
Prédio da BMW em Santiago
Nossa estrada rumo a Mendoça
Nossa estrada


Caracoles - As fotos foram bem "meia-boca". Nem sabíamos que estávamos nos famosos "Caracoles"
Vista parcial dos Caracoles
Hotel na estação de esqui em Portillo
Lago de Portillo
Adicionar legenda
De volta a estrada - aproximando-se da aduana Argentina
Famoso túnel Del Cristo Redentor
Parada para uma foto na estrada onde encontramos um grupo de motociclistas do Paraná
Grupo de motociclistas do Paraná
Linda vista da estrada próximo da aduana
Gigantesca fila da aduana - quase 3 horas de espera!
Foto escondida do galpão da aduana
História do hotel que está desativado
Ruínas do que foi um dia um hotel e termas naturais

Nem tudo são flores por aqui!
Mesmo assim a paisagem é incrível!


Nosso merecido jantar: novilho
Olho de bife

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

3 comentários

  1. Que vista incrível essa do hotel Portillo. Lindo!

    ResponderExcluir
  2. Será a Costanera Norte, aquela torre!?
    já passei algumas vezes por lá!

    ResponderExcluir